Busca avançada                              |                                                        |                            linguagem PT EN                      |     cadastre-se  

Itaú

HOME >> ACERVO ON-LINE >> COLUNAS >> COLUNISTAS >> Rodrigo Capella
COLUNAS


Rodrigo Capella
capella@interviewcomunicacao.com.br

@rodrigo_capella

Diretor da Interview Comunicação, empresa especializada em Relações Públicas, Assessoria de Imprensa e Produção de Conteúdo, entre outros serviços. É autor do livro Assessor de Imprensa – fonte qualificada para uma boa notícia e também professor do MBA em Mídias Sociais e Gestão da Comunicação Digital da UNA-BH e da pós-graduação em Comunicação Digital da PUC-PR. Ministra cursos e palestras sobre comunicação em empresas de diversos segmentos.

As Relações Públicas mudaram para melhor?

              Publicado em 27/08/2013

Em 2007, o famoso relações-públicas, Bob Leaf, deu um conselho em entrevista a PR Week: “você deve continuar sempre aprendendo. Certifique-se de que você está ciente de que não sabe. Depois transforme esta falta de conhecimento em algo que você sabe”. 

Com esse estilo, Bob acompanhou de perto as mudanças no mundo das Relações Públicas. Formado em jornalismo pela University of Missouri, em 1954, o executivo começou a trabalhar na Burson-Marsteller, em 1957, como trainee. Apenas dez anos depois se tornou vice-presidente da unidade de Bruxelas e, em 1967, chegou a International Chairman da Burson-Marsteller em Londres. Em 1997, abriu a Robert S Leaf Consultants.

Em recente artigo publicado na mesma PR Week, o executivo sentenciou: “as Relações Públicas mudaram drasticamente, principalmente para melhor”. Como exemplo ele citou que a qualidade dos alunos das Universidades continua a lhe surpreender. “O que eles sabiam, o que eles queriam saber e o que eles pediram foi extremamente impressionante”, disse. 

Concordo com Bob. A cada palestra e curso que ministro pelo Brasil, percebo que estudantes e profissionais têm um maior interesse em aprender e – até mesmo – em se engajar. 

E mais: eles não medem esforços em expor opiniões, em construir cenários e, sim, em compartilhar experiências vivenciadas junto a clientes, chefes e colegas.

Os cursos e conversas tendem, então, a ser mais questionadores, o que, sem dúvida alguma, é muito positivo. Afinal, só argumenta e se expõe quem realmente tem embasamento. 

Por conta desse cenário, acredito que as Relações Públicas tenham mudado para melhor e para melhor ainda mudarão nos próximos anos. Uma frase atribuída ao filósofo argelino, Albert Camus, se faz mais do que oportuna: “Não se pode criar experiência. É preciso passar por ela”. Concordo plenamente. E você? 


Os artigos aqui apresentados não necessariamente refletem a opinião da Aberje e seu conteúdo é de exclusiva responsabilidade do autor. 2570

O primeiro portal da Comunicação Empresarial Brasileira - Desde 1996

Sobre a Aberje   |   Cursos   |   Eventos   |   Comitês   |   Prêmio   |   Associe-se    |   Diretoria   |    Fale conosco

Aberje - Associação Brasileira de Comunicação Empresarial ©1967 Todos os direitos reservados.
Rua Amália de Noronha, 151 - 6º andar - São Paulo/SP - (11) 5627-9090