Busca avançada                              |                                                        |                            linguagem PT EN                      |     cadastre-se  

Itaú

HOME >> ACERVO ON-LINE >> COLUNAS >> COLUNISTAS >> Carina Almeida
COLUNAS


Carina Almeida


Bacharel em Economia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica no Rio de Janeiro. 

É Sócia Diretora da Textual, onde lidera há 20 anos projetos de comunicação com imprensa e outros públicos estratégicos, inclusive no exterior. Vários desses projetos renderam à Textual 26 prêmios, entre eles, 23 edições do Prêmio Aberje.


Créditos da foto à Evandro Teixeira.

O líder chinês e o seriado americano

              Publicado em 05/10/2015

"Não é House of Cards. Não há briga de poder". 

Essa declaração foi feita em 23 setembro último, pelo presidente de uma potência econômica e militar. Previsível apostar em Barack Obama. Certo? Errado!

O autor da frase foi o líder chinês Xi Jiping, dita durante a sua visita a Seattle, nos Estados Unidos. O pano de fundo era a expulsão, por crime de corrupção, de um importante líder do Partido Comunista, Xiao Tian, figura também expressiva do Comitê Olímpico daquele país, algumas semanas após o país ter conquistado a sede dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2022. 

Para tranquilizar a comunidade internacional, Xi Jiping reforçou que a expulsão era fruto da determinação de seu governo com as investigações anticorrupção. E não reflexo de uma acirrada disputa interna de poder.  

Ao recorrer à analogia com House of Cards, em solo americano, o líder chinês inteligentemente reforçou o seu recado. E ainda ganhou destaque adicional na imprensa do mundo inteiro por ter lançado mão de uma frase improvável, até então, para um dirigente de seu país. 

Não é à toa que Xi Jiping lançou mão dessa tirada inteligente. Segundo Noah Feldman, colunista da Bloomberg News, o líder chinês vem se tornando mais visível do que seus antecessores recentes, "na esperança de desenvolver um carisma pessoal que sustente os seus esforços, cujo ponto central é a campanha anticorrupção". E o que está em jogo, por trás dessa campanha, pode ser nada menos do que a própria continuidade do modelo chinês.  

Bingo! Carisma e comunicação mais eficiente tem tudo a ver!

Ser um bom comunicador é chave para qualquer liderança também do mundo corporativo. Engajar as pessoas nos objetivos e causas passa necessariamente pelo esforço de tornar o seu discurso mais claro, mais aderente ao entendimento e aos códigos do público. 

Menos o próprio umbigo e mais o ouvido do outro! 

Nem todo mundo nasce com carisma. Mas a comunicação eficiente também é alcançada com persistência, treinamento e prática. O ponto de partida é considerar que isso é chave para o seu sucesso. Como Xi Jiping.


Os artigos aqui apresentados não necessariamente refletem a opinião da Aberje e seu conteúdo é de exclusiva responsabilidade do autor. 678

O primeiro portal da Comunicação Empresarial Brasileira - Desde 1996

Sobre a Aberje   |   Cursos   |   Eventos   |   Comitês   |   Prêmio   |   Associe-se    |   Diretoria   |    Fale conosco

Aberje - Associação Brasileira de Comunicação Empresarial ©1967 Todos os direitos reservados.
Rua Amália de Noronha, 151 - 6º andar - São Paulo/SP - (11) 5627-9090