Busca avançada                              |                                                        |                            linguagem PT EN                      |     cadastre-se  

Itaú

HOME >> ACERVO ON-LINE >> COLUNAS >> COLUNISTAS >> Carina Almeida
COLUNAS


Carina Almeida


Bacharel em Economia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica no Rio de Janeiro. 

É Sócia Diretora da Textual, onde lidera há 20 anos projetos de comunicação com imprensa e outros públicos estratégicos, inclusive no exterior. Vários desses projetos renderam à Textual 26 prêmios, entre eles, 23 edições do Prêmio Aberje.


Créditos da foto à Evandro Teixeira.

A verdade como premissa

              Publicado em 04/03/2015

Recentemente acompanhamos casos de marcas pegas de “calça curta” por embalarem os seus produtos com posicionamentos que se revelaram falsos. Informações oferecidas com cara e jeito de “boas histórias” mas que não resistiram aos questionamentos surgidos a partir de sua própria propagação digital.

O bom e velho conteúdo ganha novos rótulos, mas independente da plataforma, a premissa de sua construção não deveria ser alterada: fatos verdadeiros como ponto de partida.

Curiosa essa dinâmica. O tão desejado compartilhamento digital é o mesmo mecanismo pelo qual essas “historinhas”, primeiro, se propagam, para, logo em seguida, serem colocadas à prova. E o estrago para a reputação da marca acaba sendo muito maior, uma vez que o “pego na mentira” tende a se propagar mais do que a versão original da história.

É como se as pessoas se sentissem duplamente traídas, por terem “comprado” uma informação comercial com cara de uma “boa história” e, depois, descobrirem que aquele conteúdo era falso.

A quebra de confiança custa caro, especialmente no momento em que as organizações estão evoluindo no dialogar, ao invés de apenas informar.   

Por isso, independente do rótulo, o conteúdo de qualidade precisa estar ancorado na verdade. A partir dela, precisamos, sim, acrescentar outros bons ingredientes, como criatividade, charme, franqueza, humildade, simpatia, enfim, tudo o que é necessário para se ter uma boa conversa. E lembrar sempre que conversa é isso: uma via de mão dupla. 


Os artigos aqui apresentados não necessariamente refletem a opinião da Aberje e seu conteúdo é de exclusiva responsabilidade do autor. 623

O primeiro portal da Comunicação Empresarial Brasileira - Desde 1996

Sobre a Aberje   |   Cursos   |   Eventos   |   Comitês   |   Prêmio   |   Associe-se    |   Diretoria   |    Fale conosco

Aberje - Associação Brasileira de Comunicação Empresarial ©1967 Todos os direitos reservados.
Rua Amália de Noronha, 151 - 6º andar - São Paulo/SP - (11) 5627-9090