Busca avançada                              |                                                        |                            linguagem PT EN                      |     cadastre-se  

Itaú

HOME >> ACERVO ON-LINE >> COLUNAS >> COLUNISTAS >> Erika Pessoa
COLUNAS


Erika Pessoa


Relações Públicas formada pelo Centro Universitário Newton Paiva, tem especialização em Marketing e concluiu o Curso Internacional de Comunicação Empresarial, realizado pela Universidade de Syracuse em parceria com a Aberje. Erika tem 20 anos de experiência e atuação na área de Comunicação e há 10, fundou a Pessoa. Relacionamento com Conteúdo - agência de Relações Públicas que, em sua trajetória, já atendeu mais de 100 clientes em todo Brasil. Sua expertise em atuar em rede levou a desenvolver de forma personalizada as estratégias de posicionamento de comunicação, marca e reputação de cada cliente da empresa e a desenvolver um sistema de gestão e mensuração de resultados, o Entre A Gente, hoje registrado no INPI. Desde 2002 a empresa possui uma unidade em São Paulo (Capital).

Pra quê usar cartões de visita na era digital?

              Publicado em 03/05/2016

Você tem cartões de visita? Não? Está na hora de repensar seus conceitos inovadores. Ok. Você deve estar dizendo: “mas o mundo agora é virtual e eu sou sustentável, não gosto de papel“. Ou ainda: “eu  me perco em papel, prefiro salvar os contatos direto no meu celular”.

Suas ponderações não estão erradas. Mas cabe aqui uma reflexão sobre o novo mundo em que vivemos. Estamos na era digital onde o virtual colabora imensamente para que possamos nos conectar. Mas para as conexões terem validade e perpetuarem-se, é necessário saber o limiar entre o real e o virtual. O mundo virtual nos ajuda a conectar sim, mas ele não pode ser mais importante que o mundo real, o off-line, aquele de carne e osso. Ou seja: nem tanto ao céu nem tanto a terra. E esse é o exato ponto de que tratamos aqui: a essência de relacionar está em tangibilizar os encontros, marcar, reverberar conexões. Tudo a ver com comunicação assertiva e palpável.

No exemplo do cartão de visita, estamos falando em ritualizar encontros e da essência do relacionamento. E os rituais na nossa vida servem para perpetuar e marcar momentos. Encontrou alguém? Deixe sua marca de forma tangível. Entregue seu cartão que, mais do que um papel com seu nome e telefone (porque isso podemos escrever até num guardanapo, não é?), é um objeto que revela sua identidade em cores, forma, textura e cheiro. Um cartão pode revelar muito sobre a pessoa que você encontra e a empresa que ela representa; além de ser, é claro, um jeito de reverberar uma marca.

Numa recente matéria, o The Economist mostrou porque o cartão de visita  tem prosperado na era eletrônica. O artigo chama a atenção para as formas dos cartões e os profissionais que o usam. Encabeçando o time, o top executivo da mídia digital e do mundo da inovação, Mark Zuckerberg, fundador do Facebook. Sim! Ele usa cartões de visita tradicionais.

Em um trecho, o artigo do The Economist resume: “O mundo dos negócios está obcecado com a noção de inovação, mas algumas coisas não precisam ser inovadas e a troca de cartões de visita ainda parece ser uma excelente maneira de iniciar um relacionamento duradouro. A troca ritual de retângulos de papel pode ser antiga, mas ainda muito utilizada”. 

O autor ainda adjetiva o cartão de visita como um instrumento que contribui para a construção de laços sociais. Leia o artigo original aqui e o artigo traduzido pela Printi aqui.

Vamos trocar cartões?


Os artigos aqui apresentados não necessariamente refletem a opinião da Aberje e seu conteúdo é de exclusiva responsabilidade do autor. 935

O primeiro portal da Comunicação Empresarial Brasileira - Desde 1996

Sobre a Aberje   |   Cursos   |   Eventos   |   Comitês   |   Prêmio   |   Associe-se    |   Diretoria   |    Fale conosco

Aberje - Associação Brasileira de Comunicação Empresarial ©1967 Todos os direitos reservados.
Rua Amália de Noronha, 151 - 6º andar - São Paulo/SP - (11) 5627-9090